O DN está a promover um debate público sobre o plano de revitalização da Baixa-Chiado. Participe com a sua opinião.

.Participe

Envie a sua mensagem para aqui.

.posts recentes

. Não compliquem

. Um exemplo prático

. Reabilitar a Baixa Pombal...

. Tarefa para dezenas de an...

. O que a Baixa pode (deve)...

. Baixa pombalina: o devido...

. Baixa-Chiado, um nada que...

. A autenticidade da memóra

. Receber bem os turistas

. Entre colunas, refundamos...

Segunda-feira, 4 de Dezembro de 2006

Um exemplo prático

Cecília Conceição

Arquitecta

Antecedendo toda a polémica e porque amo a Baixa "antes de ser moda", há quatro anos, decidi com um filho que tem a mesma profissão que eu (somos arquitectos), tomar a iniciativa de comprar um apartamento em ruínas, num edifício da Rua da Prata, junto à Igreja de São Nicolau e proceder à sua remodelação integral. O sonho era, um a um (porque não possuímos bens próprios que nos permitisse actuar de outro modo), comprar, remodelar com muita qualidade e vender, com uma pequena margem de lucro, que possibilitasse a recuperação gradual do investimento inicial e, alguma compensação pelo trabalho produzido. O sonho era, também, que a iniciativa não só tivesse pernas para andar mas, também, que de algum modo servisse de exemplo e motivação para que outras entidades tomassem a mesma atitude e que pouco a pouco ( o sonho era que fosse depressa) pudessemos ver a Baixa habitada, sobretudo por jovens, para que se prolongasse no tempo, o uso do espaço.

A ideia foi concretizada com sucesso e, num curto prazo, passámos a possuir um apartamento, considerado por todos que já o viram (talvez mais  de cem pessoas…) como uma intervenção magnífica, aplaudida pela qualidade da recuperação, dos materiais, da organização do espaço, etc...

Os representantes das imobiliárias garantiam-nos que, em menos de uma semana o apartamento seria vendido. As novas imobiliárias que nos procuram com o objectivo da venda, ainda o continuam a afirmar. Só que, passou todo este tempo e uma magnífica casa, continua por estrear e o nosso sonho acabou.

Da análise desta situação parece-nos poder concluir:

1. São os jovens que mais se interessam pela apartamento. O preço que pedimos pelo mesmo (neste momento 225000€) e que já é inferior ao do total do encargo, constitui um obstáculo, porque de facto, quase todos os interessados, necessitam de crédito global para a aquisição;

2. A falta de elevador no edifício, pouco compatível com os hábitos actuais de comodidade e de consumo;

3. A falta de estacionamento. Não existe a garantia de lugares reservados para moradores nas ruas adjacentes e, embora exista próximo o parque da Praça da Figueira, este não foi incluido nos acordos estabelecidos com a C.M.Lisboa, para redução do custo de utilização pelos moradores da zona;

4. A degradação dos edifícios das traseiras.Quando se abrem as janelas que dão para o saguão, as fachadas posteriores dos edifícios em frente (a cerca de 3m de distância) ameaçam ruína, abandono e promiscuidade (ONDE É QUE OUVIMOS FALAR DE OBRAS COERCIVAS?) ;

5. O estado do saguão, ao qual só se tem acesso por uma loja localizada na Rua da Vitória e onde se acumulam todo o tipo de dejectos, lixo e maus cheiros!... (QUE FAZER, QUEM TEM A RESPONSABILIDADE PELA MANUTENÇÃO E SALUBRIDADE DESTES ESPAÇOS QUE CONSTITUEM OS INTERIORES DOS QUATEIRÕES?... )

6. A falta de habitantes à noite. E aqui temos a história da pescadinha… A baixa não está habitada e não se compra ali uma habitação, por esse motivo.

Concluindo: Agora que a BAIXA é o assunto do dia, espero que o relato desta experiência e da análise dos motivos para a falta de sucesso da mesma, possa de algum modo servir para reflexão de como intervir, de como resolver e de como motivar, para que o uso permanente desta área de eleição da nossa cidade, não seja só um sonho.

publicado por O provedor às 16:23
link do post | comentar | favorito
|
Últimas notícias do DN sobre a Baixa-Chiado

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds